Guarda-Mor e Coromandel

Guarda-Mor e Coromandel

Guarda Mor e Coromandel

História

Minas Gerais, um estado recheado de belíssimos lugares, maioria das cidades bem limpas e arborizadas, não seria diferente Guarda-Mor. Essa foi a primeira impressão que tivemos.

Guarda-Mor surgiu na época que os bandeirantes começaram a extrair ouro do córrego de Paracatu, criaram então, um posto de Guarda-Real para fiscalização do ouro que era transportado para Uberaba. Deu-se a origem do nome, Guarda-Mor

Experiência

Partimos para Guarda-Mor, a uns 5 km antes do trevo avistamos uma cachoeira, intitulada de Cachoeira do Morro Grande, fomos atrás dela. Andando aproximadamente uns 10 km de terra chegamos em uma porteira fechada, não conseguimos entrar pelo acesso mais fácil, pois tivemos a notícia que o fazendeiro estava lá na cachoeira que na volta ele abriria para nós.

Esperamos por volta de 30 min na porta da porteira, não obtivemos sucesso, decidimos ir pelo rumo da cachoeira, até dar em uma fazenda de um companheiro que deixou a gente tentar o acesso por lá. Disse que não era fácil, mas para nós Milionários de Vibe, não iriamos desistir. Começamos a trilha, mata fechada, abrindo alguns caminhos com o facão, até chegar na ladeira para descer no rio, foi arriscado mas conseguimos chegar do outro lado e avistar a cachoeira. Realmente uma cachoeira muito grande e muito bonita, cada detalhe, a queda de aproximadamente 35 metros, forma um poço de agua clara, com o fundo de areia, muito bom para banho.

Após apreciar a primeira cachoeira, cheio de adrenalina fomos para as outras, em uma serra no mesmo rio possui 8 cachoeiras, conhecemos 2 delas, pois as outras o acesso era restrito e não conseguimos visitá-las, primeiro foi a cachoeira da usina, tinha uma galera lá tomando um banho, tentamos subir no topo dela, porém estava meio perigoso e decidimos ir em busca da Cachoeira da Fumaça, que pelas fotos era muito linda.

Fomos atrás dela, andamos bastante na serra, subida, descida, porteira, até encontrar alguém na estrada e perguntamos sobre a cachoeira, nos levaram até a fazendo do Senhor Alaor, o proprietário da local.

Uma trilha de 2 Km a partir da sede, no meio do pasto, as vezes fomos até pelo rio, quando de repente escutamos o barulho da queda, deu aquele alivio de estar no caminho certo. Logo pelo rio, o Victor já ficava encantado com o lugar, o pequeno rio de água cristalina, formava alguns poços muito bom para banho. Quando chegamos, aquela paisagem, parecendo um quadro, um fio de água descendo em meio do paredão, uma bancada de areia, com água cristalina, fazia daquele lugar magnífico. Ficamos ali por muito tempo, até nos preocupar com o horário e ter que partir para casa.

Bom, já era domingo, dia de voltar para casa, e a expectativa era passar em Coromandel para ver o poço da água santa, assim fizemos. Domingo cedo saímos de vazante onde estávamos hospedado, e fomos em busca do poço. Da rodovia até o poço andamos uns 9 km de terra, e chegamos na trilha do poço. Com toda ansiedade, caminhando de repente avistamos um azul no meio da mata, e era o poço. Um lugar lindo, bem ali no meio da mata, com uma areia branca e uma árvore no fundo do poço torna aquele lugar um espetáculo da natureza.

Que tal você se inspirar nas nossas dicas, e também partir em busca de uma nova aventura a cada semana? Conta tudo para gente aqui nos comentários.

Demais Informações
  • Local 1: Cachoeira do Morro Grande, Guarda-Mor - MG
  • Local 2: Cachoeira da Usina, Guarda-Mor - MG
  • Local 3: Cachoeira da Fumaça, Guarda-Mor - MG
  • Local 4: Poço da Água Santa, Coromandel - MG

Vídeo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *